sexta-feira, 6 de setembro de 2013

EBR iniciará produção de módulos para a P-74 em dezembro


Em setembro de 2014, obra estará empregando três mil trabalhadores


EBR realizou a cravação simbólica das primeiras estacas da construção



Junto com o processo de interiorização do Governo do Estado, que na manhã de ontem levou o governador Tarso Genro a São José do Norte, a Estaleiros do Brasil Ltda (EBR) realizou a cravação simbólica das primeiras estacas da construção das obras civis do estaleiro e do cais da EBR na cidade. Na unidade que está começando a construir no Município, a empresa fará a montagem e integração dos módulos da plataforma P-74 para a PNBV/Petrobras. Durante evento alusivo ao ato, realizado em um palanque montado na área do estaleiro, Augusto Mendonça, conselheiro da EBR, anunciou que em dezembro deste ano a empresa começará a produzir os módulos para a P-74.
As obras, que estavam ocorrendo no terreno de 1.500.000 metros quadrados, consistiam em serviços de terraplenagem e construção de dois lagos. Agora começam as obras de implantação do estaleiro e do cais. "Nosso estaleiro não será o maior da América Latina, mas tenho certeza que será o melhor. Estamos absolutamente dentro do cronograma das obras. Nosso sonho é produzir e exportar o produto brasileiro para outros países", salientou Mendonça. Ele também falou que o apoio recebido do Estado e do Município foram fundamentais para que o projeto fosse levado adiante.
A P-74 será uma plataforma com capacidade para produzir 150 mil barris de óleo por dia e comprimir 7 milhões de metros cúbicos de gás natural/dia. Em sua construção, serão investidos US$ 700 milhões. Seu casco deverá chegar em São José do Norte em fevereiro de 2015. O gerente de Projeto desta plataforma, José Paulo Ribeiro, da Petrobras, disse que este é um dos projetos mais importantes da Companhia hoje, pois a P-74 será a primeira do Campo de Operação "Cessão Onerosa" do Pré-sal. "Esta unidade está sendo muito esperada e deve ficar pronta no final de 2015", frizou.
O estaleiro da EBR terá capacidade para 110 mil toneladas de processamento de aço por ano no pico de operação. Seu cais terá 820 metros lineares para executar serviços de integração em duas unidades de FPSOs (sigla em inglês para plataforma flutuante que produz, processa, armazena e escoa petróleo) simultaneamente. "Ao enterrarmos simbolicamente as primeiras estacas desta obra magnífica, estamos enterrando definitivamente o conceito de que a Metade Sul é a metade deserdada do Estado", ressaltou o governador Tarso Genro. Em sua avaliação, agora São José do Norte terá que enfrentar outros problemas, não mais decorrentes da estagnação, e sim do crescimento, inclusão social e emprego.
Empregos
Nas obras de construção do estaleiro, atualmente a EBR está gerando 200 empregos e, em outubro, chegará a 800. Nos trabalhos da plataforma, entre dezembro deste ano e janeiro de 2014 deverão ser empregados 1.000 trabalhadores, de forma direta, e até março do mesmo ano, 2.500. Já em setembro de 2014, deverão chegar a 3.000.
Alberto Padilla, presidente da EBR, destacou que agora não há mais dúvidas sobre a concretização do empreendimento na cidade nortense. Sobre as dificuldades a vencer a partir de agora, cita a construção da estrada ligando a BR-101 à área do estaleiro, e a questão da travessia entre São José e Rio Grande, ainda feita por lanchas (transporte de passageiros) e balsa (para veículos). Mas o maior problema, segundo ele, é o habitacional, para o qual está sendo buscada solução e esta não está sendo obtida na velocidade certa. Padilla ainda adiantou que serão admitidos pelo EBR muitos dos trabalhadores que estão sendo demitidos em Rio Grande, devido ao término da P-55, que deverá ser entregue à Petrobras no próximo dia 16, e fase final da P-58. E que será dada prioridade à mão de obra local.
Recursos para saúde
O secretário de Saúde do Estado, Ciro Simoni, destacou o investimento que o Estado fará no setor de saúde de São josé do Norte, principalmente no hospital, em decorrência do crescimento que o EBR vai gerar no pequeno município de 26 mil habitantes. "É uma resposta a todo o investimento que os empresários estão fazendo aqui", afirmou, anunciando, em seguida, um repasse emergencial de R$ 2,6 milhões à Prefeitura e ao hospital, para que este último tenha condições de atender à demanda que virá em decorrência do empreendimento da EBR. Simoni também lembrou que no mês passado foi assinado contrato com a Fundação Hospitalar Getúlio Vargas para fazer a gestão do hospital nortense, com o intuito de qualificar o atendimento no local.
Ao manifestar-se no evento, o prefeito de São José do Norte, Zeni Oliveira, disse que o momento é de muita alegria para a cidade. Ele ressaltou que o empreendimento vai alavancar a economia do Município. Conforme Oliveira, a comunidade nortense há muito esperava este momento e a cravação das primeiras estacas vão ficar na história da cidade.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

Fonte:http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=9&n=48431
Localização: